Seringueira tricomposta é conhecida por técnicos na Embrapa

A Embrapa Amazônia Ocidental realizou uma aula prática a fim de mostrar novas tecnologias no cultivo da seringueira tricomposta e extração do látex e demais informações importantes que agregam valor à produção de borracha.

A ação foi voltada aos técnicos extensionistas do Amazonas, que irão atuar como agentes multiplicadores desses conhecimentos junto aos produtores de todo o estado.

Por dentro de como foi a aula prática

Promovido pelo Idam (Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas), o Curso de Boas Práticas de Extração de Látex realizou a aula prática entre os dias 07 e 11 de novembro de 2023.

Ao todo, além dos convidados, participaram da ação 25 técnicos do Projeto Prioritário da Cadeia Produtiva da Borracha, da Sepror (Secretaria de Estado de Produção Rural), da ADS (Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas) e da ADAF (Agência de Defesa Agropecuária e Florestal Sustentável do Amazonas).

Nela, o pesquisador Everton Cordeiro mostrou a importância do cultivo da seringueira na geração de renda, sem deixar de lado seu cultivo com espécies alimentares nas entrelinhas, como o milho e o feijão-de-corda.

Foto: Divulgação/Embrapa

Como é formada a Seringueira Tricomposta

Durante a aula, foram apresentados por Cordeiro mais informações sobre a Seringueira Tricomposta, uma tecnologia da Embrapa capaz de viabilizar seu cultivo na área de ocorrência do Mal das Folhas. Caso não saiba, tal doença proliferada por fungos é uma das que mais vitimizam o cultivo em regiões úmidas e quentes da América do Sul.

Sua formação é derivada de combinações de enxertias de clones de seringueira selecionados nas pesquisas da Embrapa, capazes de se tornarem resistentes ao fungo mencionado acima. Inclusive, na aula prática, os participantes tiveram a oportunidade de visitar uma plantação e assistir à demonstração de técnicas de extração do látex.

A Seringueira Tricomposta no futuro

Junto com Cordeiro, também esteve presente na aula o chefe do Departamento de Assistência Técnica e Extensão Florestal do Idam, Luiz Rocha, que afirmou a necessidade de expandir a tecnologia da Seringueira Tricomposta em todo o estado amazonense.

Isso porque, segundo ele, a região tem um amplo mercado para atender. Atualmente, cabe ressaltar, boa parte da produção da região é direcionada a duas empresas dos segmentos de pneus e de calçados.

Por fim, na aula, a coordenadora do Projeto Prioritário da Cadeia Produtiva da Borracha, Ana Paula Rebouças afirma que ao todo são 14 municípios participantes do projeto e seu objetivo é capacitar os produtores locais e fornecê-los acesso às políticas públicas, como a PGPM-Bio (Política de Garantia de Preços Mínimos para os Produtos da Sociobiodiversidade).

Continue ligado aqui no blog da Rubberline e acompanhe as últimas atualizações sobre o mercado de extração e produção de borracha brasileiro!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *