Série mostra como funciona a logística reversa de pneus inservíveis no Brasil

A Reciclanip, responsável pela logística reversa de pneus inservíveis no país, lança a série sobre sua área de atuação “A Rota dos Pneus Inservíveis”, com episódios que mostram como funciona a operação na indústria nacional de pneus.

“Hoje, somos responsáveis por coletar mais de 100% da meta IBAMA para pneus inservíveis. É uma operação logística que consegue chegar aos locais mais distantes do nosso país.” comenta Klaus Curt Müller, presidente executivo da ANIP, responsável pela Reciclanip.

Cena da série “A Rota dos Pneus Inservíveis”. Imagem: Reprodução

A série iniciou dando ênfase em uma campanha de coleta realizada em agosto,onde foram coletados mais de 11 mil quilos de pneus inservíveis na cidade de Chuí, no extremo sul do país.

“Temos mais de 1.050 pontos de coleta espalhados pelo país, mas também atendemos coletas pontuais em municípios que precisam fazer o descarte correto desses pneus.” explica Rafael Martins, Gerente Geral da Reciclanip.

A campanha realizada contou com a presença do Secretário de Qualidade do Ministério do Meio Ambiente, André França, responsável por um depoimento sobre a importância da logística chamado “Estados e municípios não precisam ter sistemas isolados, pois o sistema nacional está presente em todas as unidades da Federação que funcionam como hubs aos municípios atendidos por campanhas móveis, como a acontecida no Chuí”.

Nos próximos episódios serão abordadas diversas regiões do Brasil atendidas pelo programa da Reciclanip. “Nosso país tem dimensões continentais e a operação consegue atender do Oiapoque ao Chuí. Nos últimos 20 anos, foram coletados e destinados mais de 5,2 milhões de toneladas de pneus e investido mais de 1,6 bilhão de reais pelo setor.” complementa Curt Müller.

O primeiro episódio realizado no Chuí está disponível no canal do Youtube da ANIP. Para assistir, basta acessar o link https://youtu.be/CmOa74lNA0w.

Deseja saber mais novidades e notícias? Então continue nos acompanhando no blog!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *