Meio ambiente: pneu recapado representa economia de 70% em extração

Ao longo dos últimos anos, a fabricante Continental vem desenvolvendo pneu recapado inovador com o foco em melhorar a reciclagem, permitindo ao seu produto ser reutilizado, pensando nos termos de sustentabilidade.

Sendo assim, ao ampliar a vida útil de um pneu, a recapagem contribui para a preservação do meio ambiente. Além disso, protege o investimento feito ao adquirir um novo, adiando ainda seu descarte, por meio da preservação da carcaça original, capaz de permitir uma nova utilização.

Meio ambiente: pneu recapado representa economia de 70% em extração

A preservação do meio ambiente está no centro das preocupações da Continental. Imagem: Divulgação/Continental

Pneu recapado permite uma economia de 70% em extração de recursos naturais, 24% de redução de CO2 e 19% do consumo de água

O pneu recapado atualmente tem um processo que emprega uma tecnologia avançada, mas que apresenta as mesmas características de segurança e desempenho presente no original.

“A preservação do meio ambiente está no centro das preocupações da Continental. Ela envolve desde o desenvolvimento do pneu, passando pela entrega de soluções digitais de monitoramento para as frotas e seguindo até o descarte correto da carcaça e no reaproveitamento de materiais. O monitoramento digital evita os pneus rodarem com calibragem incorreta, assegurando assim uma maior economia de combustível e uma menor liberação de CO2 na atmosfera”, analisa Thais Oliveira, diretora de vendas de pneus de carga da Continental para a região Mercosul.

A proposta abrangente do ContiLifeCycl, sobre o ciclo de vida dos pneus é capaz de “permitir aos frotistas otimizar os custos operacionais de acordo com suas necessidades e exigências particulares até a recapagem. Isso prolonga a utilização do pneu e protege o investimento realizado em sua aquisição”, segundo Oliveira.

Um ponto fundamental é o novo uso de matérias-primas sustentáveis na produção de pneus recapados. Além da comprovação em projetos que permite o uso da extração de borracha natural do dente-de-leão russo, na utilização de poliéster reciclado de garrafas PET ou no emprego de silicato da cinza da casca de arroz.

Até em 2030, cabe ressaltar, a fabricante pretende que todos os seus pneus líderes de vendas da marca terão 60% de materiais sustentáveis.

Para saber mais sobre novos conteúdos relacionados à indústria de pneus e sustentabilidade, continue nos acompanhando aqui no blog da Rubberline!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *