Indústria automotiva pode estar em risco devido escassez da borracha

A indústria automotiva tem sofrido nos últimos meses com a falta de equipamentos, sobretudo, dos chips, mas a escassez da borracha também preocupa o setor. A borracha é um item essencial para a produção de pneus e outros itens utilizados na fabricação de veículos, como tapetes, tubos e materiais isolantes.

A quantidade de borracha no mundo está reduzindo drasticamente, ano após ano, devido a uma série de fatores, como o crescimento repentino da demanda mundial.

Fábrica de Pneus. Imagem: Reprodução

Além disso, o setor está tendo de lidar com uma doença que atacou os seringais, o que diminuiu a produção mundial ainda mais. Assim, com esse cenário se agravando, fabricantes de pneus, bem como outros fornecedores começaram a aumentar o total de encomendas para evitar que tenham de enfrentar a escassez da borracha para sua produção interna.

O receio de que a escassez da borracha pode se tornar, muito logo, uma nova versão da crise dos semicondutores permeia toda a indústria. Entretanto, é importante destacar que o fato já era previsto por alguns analistas.

O início da escassez da borracha é de anos, mas se agravou em 2020

A escassez da borracha começou a ser acompanhada principalmente em 2020. A China manteve seu volume de compras de borracha natural quase igual ao do ano anterior. Neste mesmo tempo, o fornecimento de borracha para os Estados Unidos na época reduziu-se, a ponto de zerar os estoques de diversas fábricas americanas.

Portanto, assim que a produção mundial normalizou-se, a escassez do produto foi aumentando. Em fevereiro deste ano, o valor da borracha natural estava em torno de US$2 por quilo. Este é um dos valores mais altos dos últimos quatro anos.

Mas, devido a tamanha escassez e a procura que tem aumentado diariamente, os trabalhadores do setor estimam que os preços ainda vão subir mais. Assim, pontuam que ele pode alcançar os US$5 dentro de cinco anos.

O uso da borracha natural

Hoje, o maior produtor e exportador mundial de borracha natural é a Tailândia, seguida do Vietnã. Mesmo a borracha feita a partir do petróleo sendo a preferida para uso industrial, a matéria-prima natural é essencial para aplicações específicas. Alguns exemplos são as luvas e materiais para embalagem, itens que tiveram uma demanda gigantesca durante a pandemia.

Essa indústria é dominada, sobretudo, por pequenos proprietários. Por isso, com a quebra, um desarranjo geral na produção vem sendo acompanhado. Assim, é mais difícil para eles se ajustarem rapidamente a mudanças de demanda. O fato, portanto, acaba provocando alterações sensíveis no preço e no abastecimento ao longo de todo o processo, do fornecedor da matéria-prima ao consumidor final.

Grandes montadoras, como Ford e Stellantis, estão acompanhando essa escassez da borracha de perto e dizem oficialmente que ainda não sentiram um grande impacto. A preocupação com a falta do insumo, por enquanto, ainda não é um problema para as montadoras.

Entretanto, essa não é uma realidade de todos. A fabricante francesa de pneus, Michelin, afirmou que já precisou contornar contratempos para que conseguisse sua principal matéria-prima. A mesma teve de driblar o congestionamento dos portos e ir em busca de transporte aéreo.

Enquanto isso, os fabricantes de médio e pequeno porte estão passando por um tremendo sufoco. Isso porque, com a escassez da borracha, tiveram de aumentar suas compras sempre que o insumo estivesse disponível para formar estoques mais prolongados.

Com informações da Automotive Business.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *