Desafios e metas da produção de borracha no Brasil

A produção de borracha no Brasil chegou a ser considerada a maior do mundo, sendo a região Noroeste de São Paulo a responsável por mais de 70% do volume nacional. Atualmente, nosso país ocupa a 11ª colocação no ranking mundial, de acordo com a Apotex (Associação de Produtores de Látex do Brasil).

Um dos motivos pelos quais ocorreu essa queda está diretamente ligado à anulação da taxa de importação de 40%, existente em outros tempos no Brasil e o aumento na concorrência externa. Em virtude disso, atualmente a borracha externa impacta diretamente no sustento de extrativistas e trabalhadores em áreas plantadas dependentes dessa matéria-prima.

Foto: Getty Images

Dessa maneira, com a queda no faturamento das famílias e de grandes produtores de seringueira, o risco desse cultivo ser substituído por uma outra cultura aumenta a cada dia. Prova disso é que no interior de São Paulo, mais precisamente no município de Colômbia, boa parte das florestas já foram derrubadas.

Medidas tomadas pelo Governo Federal para reverter a crise com os produtores de borracha

Você sabia que, anualmente, a demanda mundial por borracha natural supera os 14 milhões de toneladas? Diante desse número, podemos concluir que existe um amplo mercado consumidor para a borracha natural brasileira, porém o que está faltando são incentivos por parte dos órgãos públicos federais para com os produtores.

Segundo o Instituto de Economia Agrícola, ocorreu um aumento de 5,78% no valor de importação da borracha natural, que atualmente vigora em R$8,97/kg. Todavia, o montante é um tanto elevado se comparado ao cobrado pelo mercado asiático, cuja referência é a bolsa de Cingapura, que hoje possui o valor de R$ 4,90/kg.

Para reverter a situação, o Camex (Comitê-Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior) elevou a taxa de importação pelos próximos 24 meses, passando de 3,2% para 10,8%. Tal aumento foi fruto de uma reunião feita com diversas lideranças do setor com o ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro.

A concorrência com o mercado asiático

O Brasil é considerado até hoje o berço da seringueira no mundo, afinal as primeiras extrações de látex ocorridas há mais de um século foram realizadas na Amazônia. Mas, infelizmente, esse fato não está impedindo o aumento da concorrência externa, com a crescente onda de produção de borracha advinda do mercado asiático.

E se considerarmos os dados apresentados acima, referentes ao preço do quilo da borracha natural e a drástica redução dos 40% para os atuais 10,8% na taxa de importação, a importada está conquistando cada vez mais o mercado pertencente outrora aos produtores brasileiros.

Prova disso é que, além de ter deixado de ser o maior produtor do mundo, hoje a produção de borracha natural brasileira produz apenas 40% da necessidade nacional, sendo os outros 60% importadas “por um preço desleal”, segundo Teresa Márcia Morais, produtora no município de Colômbia, interior de São Paulo.

Continue ligado aqui no blog da Rubberline e acompanhe as últimas atualizações sobre os desafios da produção de borracha no Brasil e os impactos na economia e produção nacional.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *