Borracha natural: produtores e sangradores pedem aumento de imposto de importação

O preço do quilo da matéria-prima vendida pelos produtores para as usinas está sendo praticado a 50% do valor de custo da produção do coágulo bruto (borracha de látex natural, obtida a partir de coagulação espontânea ou química).

Diante do prejuízo, produtores e sangradores se reuniram e definiram que a partir de agora o valor para compra e venda do coágulo vai obedecer ao índice proposto pela Confederação Nacional de Agricultura (CNA) em convênio com o Instituto de Economia Agrícola do Estado de São Paulo (IEA), que é em média 30% a mais do que o valor praticado atualmente.

Imagem: Divulgação

Outro ponto importante debatido na reunião foi a solicitação do aumento do imposto de importação de borracha de 3,2% para 35%. O valor do imposto de importação desigual praticado coloca o produtor brasileiro em desvantagem com relação aos produtores asiáticos.

Baixo imposto de importação favorece desmatamento em países da Ásia

A heveicultura nacional já vem sofrendo com a desigualdade no valor de custo de produção frente ao produto importado, principalmente dos produtores de países asiáticos.

Isto acontece porque nestes países ainda não é considerado ilegal desmatar para plantar seringueiras, enquanto no Brasil, a política ambiental determina que 20% da área seja preservada, elevando o custo de produção.

Outro fator que pesa a favor do produto internacional é que os trabalhadores não são protegidos por lei e ainda é possível encontrar trabalho análogo ao escravo, além da exploração da mão de obra infantil.

Ao mesmo tempo, os trabalhadores brasileiros são protegidos pela CLT, fato que encarece o custo de contratação nos seringais do país.

No Brasil, cabe ressaltar, a exploração do trabalho infantil é considerada ilegal e enquanto não houver justiça social e ambiental entre os países produtores de borracha no mundo, a desigualdade se apresenterá como custo menor do produto importado, o que provoca desequilíbrio e desvantagem aos produtores nacionais.

Aumentar o custo de importação é urgente

Essa isonomia está sendo pleiteada pelos produtores e sangradores brasileiros, daí a demanda pelo aumento do imposto de importação de borracha como uma forma de equilibrar e tornar mais justa a competição no mercado.

Isso precisa acontecer o quanto antes, uma vez que o Brasil não produz toda a borracha que precisa para atender a demanda interna, obrigando a importar cerca de 60% da quantidade desta matéria-prima.

Mas, sem que a competitividade seja justa e trabalhando sob prejuízos, há risco de abandono de produtores, o que pioraria este cenário.

Para continuar atualizado sobre o mercado da borracha natural, acompanhe-nos, deixe suas sugestões de pautas, elogios, comentários ou críticas e também compartilhe este conteúdo nas redes sociais.

*Com informações do DHoje Interior.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *