Conheça um dos produtos mais utilizados no mundo: o negro de fumo

O negro de fumo é um dos produtos mais antigos do ramo petroquimico. Tudo começou quando os chineses e egípcios utilizavam o pó preto, há mais de cinco mil anos, durante a impressão e confecção de murais. Sua composição é obtida a partir da decomposição térmica de óleos ricos em hidrocarbonetos gasosos e líquidos.

Atualmente, de acordo com as novas tecnologias, foi introduzido nos processos da indústria da borracha, com a sua propriedade de reforçar e consolidar tanto a borracha natural quanto a sintética.

Sua aplicação pode ser usada no polimento de lápis de escrever e em alguns metais. Não à toa, o negro de fumo tem uma grande importancia na fabricação de escovas de carvão, muito usada em máquinas eletricas e em projetores cinematograficos.

Dessa forma, o uso desse produto pela indústria é diferente do que era no passado.

“Uma fuligem é uma combustão incompleta e, no caso do negro de fumo, é um craqueamento térmico de óleos residuais aromáticos”, explica o presidente da Birla Carbon para a América do Sul, Ronaldo Silva Duarte.

Conheça um dos produtos mais utilizados no mundo: o negro de fumo.

Imagem: Aditya Birla/Reprodução

Qual é a composição quimica do negro de fumo?

A composição química do negro de fumo depende de todo um processo de fabricação, podendo conter 0,1 a 1% de hidrogênio, 88 a 99,5% de carbono e 0,03 a 11% de oxigênio.

Além disso, pode apresentar impurezas inorgânicas e orgânicas, são responsáveis pelos efeitos nocivos à saúde do trabalhador. No caso, seus contaminantes são os hidrocarbonetos aromáticos, que possuem características carcinogênicas e mutagênicas.

Como foi o primeiro contato do negro de fumo com os pneus?

Sem a sua aplicação, o pneu não duraria mais de 100km, mas a relação entre a borracha e a pigmentação foi por um acaso.

Henry Ford, quando começou a criar seus primeiros veículos, eles eram todos pretos. Como eram feitos de borracha natural, seus pneus eram brancos.

“Então ele pediu a um fabricante que pigmentasse o pneu. Se você pintasse o pneu, ele iria sujar todo mundo e descolorir, então era necessário que a borracha fosse pigmentada. Foi quando então eles misturaram o negro de fumo à borracha”, diz Ronaldo.

Assim feito, eles descobriram que usando o negro de fumo servia também para reforça a borracha, além de sua pigmentação.

Quais são seus tipos e aplicações

Existem três formas estruturais de carbono no mundo:

  • na estrutura piramidal, sendo o material mais duro do mundo em forma de diamante;
  • na forma de grafite com são em placas, sendo utilizado como lubrificantes,
  • o negro de fumo: “Ele não é amorfo e nem é cristalino, ele é um híbrido, nós chamamos de paracristalino”, explica Ronaldo Duarte.

Quando você olha no microscópio o negro de fumo, ele não tem uma forma cristalina, mas sim uma certa ordenação.

“Quando você pega uma partícula, ela é formada por camadas, igual quando você corta uma cebola. Ela tem um certo arranjo, mas não chega a ter uma estrutura bem definida. Essa característica é única do negro de fumo”, explica Duarte.

Portanto, não existe apenas um, mas diversos tipos de negro de fumo das mais variadas aplicações. Quanto mais durabilidade você quer no pneu, mais aderência perde.

“Essa brincadeira na hora de fazer o composto de borracha para essa parte do pneu é o grande desafio dos químicos das pneumáticas:  tem que durar, ter aderência, não pode aquaplanar, não pode fazer barulho e tem que reduzir o consumo de combustível. Tudo isso é feito trabalhando-se diferentes tipos de negro de fumo em diferentes formulações e desenhos de pneus”, finaliza Ronaldo.

Para saber mais sobre o mundo da borracha natural e o uso do negro de fumo por essa indústria, continue acompanhando os nossos conteúdos no blog!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *