Borracha natural e borracha sintética: qual a diferença?

Há muito tempo, a borracha é uma matéria prima utilizada na fabricação de produtos no mundo inteiro, estando disponível em dois tipos diferentes: a natural e sintética.

Muitas empresas atualmente buscam mudanças na sua forma de atuar, a fim de repensarem a presença no mercado e terem um olhar atento à sustentabilidade, pensando em reduzir impactos e utilizar matérias-primas renováveis nos serviços. Com isso, surge a importância desses dois materiais com distintas funcionalidades.

Saiba mais a seguir como funciona e quais são as diferenças entre a borracha natural e sintética!

O que é e quais são as aplicações da borracha natural

A borracha natural é obtida por meio do látex e é produzida em algumas espécies vegetais tropicais, principalmente da extração da seringueira, uma árvore nativa da região amazônica.

A fim de evitar contaminações ou apodrecimento do látex, o processo é feito de forma contínua com acompanhamento constante. Depois da extração, segue com um processamento químico, onde a substância é coada e ao produto é adicionado o NH3 (amônia).

Borracha natural e borracha sintética: qual a diferença?

Latex sendo extraído de uma seringueira. Foto: Getty Images

Além disso, a borracha natural é obtida após ácidos e sais serem adicionados ao látex, que separa a borracha do líquido. Depois de mais algumas etapas, ela estará pronta para ser comercializada e vendida.

Sua principal característica é possuir bastante elasticidade, além de ser flexível e ser um material resiliente com a capacidade de voltar à forma original.

Suas aplicações são variadas, mas um dos segmentos que mais fazem uso é o da indústria automobilística, com peças integrantes do veículo e suas vedações, para os pneus. Já na área da saúde o uso da borracha é em grandes quantidades, na fabricação de equipamentos de uso médico, como luvas.

Borra sintética: como é feita e onde é utilizada?

Agora, a borracha sintética vem de um material artificial proveniente de produtos químicos obtidos por meio do gás natural ou do petróleo. Um dos principais componentes da sua produção é o Nafta, que pode ser utilizado na produção de materiais plásticos, fertilizantes, fios e fibras sintéticos e detergentes, etc.

Com o processo de polimerização que é definido com a composição do material, é adicionado os minerais, plastificantes, etc, para tomar forma. Após isso, é feita a vulcanização do material, seguindo ao acabamento conforme sua utilização.

Ainda, a borracha sintética possui uma maior resistência ao frio, calor ou substâncias prejudiciais, como o óleo. E o principal: é aliada a qualidade de baixo custo com uma rápida produção.

Ela pode ser utilizada nas indústrias como automobilística, metal-mecânica (como o EPI, acoplamentos, diafragmas etc), solados de calçados, construção civil, artigos esportivos e até em utensílios em geral (como capinhas e cases de celular).

Sabendo das vantagens e diferenças entre as borrachas sintéticas e naturais, chegou a hora de saber como aplicá-las em sua empresa.

A Rubberline tem como objetivo atender as necessidades das empresas do segmento de borracha, ajudando-as por meio da realização de treinamentos, palestras, cursos e suporte técnico durante todo o processo produtivo.

Deseja saber mais informações? Então entre em contato com a nossa equipe, será um prazer te atender!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *